segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O ruim de 'crescer' é ver as pessoas que nós amamos indo para outro plano.
Aceitação...

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Quem ama menos que o máximo de amor as pessoas que eu amo incondicionalmente. Já são, por falta de atitudes, o que se pode chamar de pessoas não bem vindas no meu convívio!

terça-feira, 22 de julho de 2014

Já assisti inúmeras vezes, mas esta foi a primeira que chorei assistindo Sex And The City.
Estou ficando mais maluca que nunca!!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

E cada qual com seu cada qual!

E cada qual com seu cada qual! 
                      Hoje na fila do banco escutei ( tive que servir minha audição de penico) um senhor e uma senhora, aposentados, falando sobre a copa. Esculachando por amanhã ser feriado ( claro, os vovozis * não trabalham. Então não tem mais a noção que, vez em quando, para quem trabalha duro é muito bom um feriado. E além de tudo todo dia para eles deve ser feriado!). Dizendo p os gringos irem logo embora (Sem nem lembrar do quanto estamos ganhando com a presença deles.). Falando mal de quem gosta de futebol, e por sermos o país do futebol...etc etc... 
                        Opinião é bom, mas cada um tem a sua. Não precisa impor suas regras. Assim como a minha aqui. Porém o pior é que exprimiam suas ideias ao lado de uma criança sonhadora. Que acha o Neymar o máximo. Tanto, que reclama por seu cabelo ser liso e não como o do Neymar. Pq mãe? Escuto sempre que vamos ao cabeleireiro. 
                            Esta criança que ainda não se afetou com as coisas ruins da vida, com a corrupção dos políticos, com a desigualdade social, com a violência, etc.. Escutou as rabugices daqueles dois.
 E se chateou, assim como eu. E me questionou porquê eles reclamavam tanto.
                              Vontade de pagar uma gelada amanhã pra aqueles dois. Dizer que a vida é linda apesar de tudo. Dizer que ficar na frente da tv ouvindo as opiniões 'no sense' da mamãe é bárbaro. Dizer que estou orgulhosa desta copa e quero vence-la.
                          E dizer que eles estão na idade que é delicioso ser leve. Mas, fazem justamente o inverso...


Minha opinião também exala neste texto, que compartilho:

Chá das Cinco: Tudo passa 

Neymar...não posso ficar triste por você. 

Não posso porque disseram que você é milionário, namora a atriz da novela das 9h, não sabe que eu existo e porque existem milhares de pessoas morrendo no mundo nesse exato momento. Sabe como é, né? Não é de bom tom...posso parecer alienada.

Por que é assim? Ou você malha e tem o corpo definido ou é inteligente. Ou você ouve Tulipa, Criolo, Jeneci ou a última do Sorriso Maroto. Ou você é um amante do futebol e está feliz pela Copa ser no seu país ou você é altamente politizado.

O “in” é ser nicho e não coletivo. Como se carregássemos um complexo desde a infância, quando perdíamos o nosso melhor argumento: “todo mundo vai! Deixe eu ir, mãe!” e ela sentenciava: “ mas você não é todo mundo.” Ninguém quer ser todo mundo.

É possível, sim, ficar abalada pela queda do viaduto em Belo Horizonte e também sentida com o que aconteceu ontem com o nosso melhor jogador. Ambas tragédias poderiam ser maiores. Aquele viaduto poderia estar em pleno funcionamento e milhares de vidas seriam afetadas. Neymar poderia ser bem mais velho e a possibilidade de jogar uma próxima Copa do Mundo seria quase nula.

Sonho é sonho. E sonhos morreram junto com as vítimas do acidente do viaduto, na faixa de Gaza, na África, nas favelas brasileiras e em diversos lugares do mundo. Infelizmente. O fato de Neymar Jr. ser rico e famoso não o faz menos merecedor de compaixão nesse momento.

São sonhos diferentes, situações diferentes e não dá pra sentarmos eternamente em cima dos problemas do mundo. Dá sim...para fazer a sua parte. Em falar nisso...você está fazendo a sua?

Já que a “da vez” é radicalizar nas opiniões para parecer mais legal, também vou dar a minha contribuição:

Ou você tem bom senso e sabe separar bem as situações, ou então, sinto dizer, você é um idiota.

É Tóis.

(Daniela Tourinho)

terça-feira, 15 de abril de 2014

As terras do nunca não existem pra mim!

É deste tipo de pessoa que tenho medo. São estas pessoas que tem um cabo acoplado com tudo o que você pensa, espera e sabe da vida que me dão calafrios.
De pessoas que seguram meu rosto com as duas mãos e falam o que eu sei que sou, mas deixei pra trás. Destas pessoas que estudam a alma e veem a essência é que fujo. Das que se importam,das que cuidam, das que promovem, das que disponibilizam tempo e ouvido, das que perdem as horas com você; destas eu tenho muito, mas muito medo!
Das que mentem, das que não me dão exclusividade, das que somem nos momentos difíceis, das que nunca cumprem, das que não vem, das que não estão perto, das que rasgam sua sanidade, das que te colocam frente a frente com o pior de você; destas não tenho medo algum. Estas por incrível que pareça eu conservo ao lado, eu mantenho por anos.
É um comportamento suicida. Do qual eu não consigo me livrar.


E na mesma noite que escrevo isto aqui, ele segura meu rosto,olha nos olhos, fala meio mundo de coisas que gosto e finaliza com:
-Você é a mulher perfeita. Que todo homem gostaria de ter ao lado.


Mas, eu não acredito. Eu duvido. Minha alma e auto-estima já foram tão sordidamente dilaceradas que eu discordo e o mando ir embora. Não do meu lugar, não do meu lado; mas da minha vida, da minha história. Uma vida feia, cheia de um passado sofrido e choroso não cabe pessoas assim.
Parece cena dos filmes que eu já odiei. Mas, pelo bem desta alma evoluída eu o mando pra bem longe de mim.