quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Quem conta...


"eu sei...
Tanta coisa mudou..."
Ela quase desistiu...Pela quarta vez seguida, ela quase dispensou o convite...
Era longe, era tarde, não era tentador...
Ha, como ela sabia que arrepender-se-ia depois...Depois de dizer que não era tentador...
Se não era poque seu coração pulsava e seu corpo tremia quando ele estava perto? Se não era porquê ele a perturbava?
Porquê ela adorava falar-lhe?
Tantos porquês, que quando mal sentiu estava lá, linda e loira, pronta para encontra-lo...
Ele era um homem 'estupidamente' requintado (paradoxalmente falando). Talvez, tudo o que Esther sonhou.
Mas, faltava a pulsação...Faltava que Esther permitisse...
Foi, sem dúvida uma noite agradabilissima.
Ele pensara em tudo...Tinha na geladeria cerveja, mas também vinho, tinto e caro; para transformar a noite irritantemente romântica...
Tinha lua, tinha voz, tinha céu estrelado, tinha conversa longa, longa e interessante...
Mas, tinha também o muro imaginário que Esther criou...ela havia pedido um tempo aos Deuses...Um tempo de anos para pôr sua cabeça e seu coração no lugar...
Lembrava o quanto havia errado permitindo que Gianni entrasse na sua história cedo demais, cedo ao ponto de ela não estar totalmente preparada para uma vida à dois...
E novamente ela não queria errar...
Mas, seu coração suspirou quando ela entrou no carro e ele veio com o segundo convite irrecusável: o grande show de jazz na sexta feira...Sem que percebesse, Esther já estava, mentalmente, se arrumando para o próximo encontro.
Despediram-se como sempre...como bons amigos...Mas, já na saída ele soltou:
' tudo isto pode ser seu, basta você querer...'
Ai, ai...

Um comentário:

adriana disse...

eu acho q entendi agora o q vc quer dizer nos contos.....ha uma jaula (p/ mim).eh q as vezes sou muito desligada,porem sou totalmente e loucamente ligada,entende? te adoro muiiiiiitao,bjs carinhosos.tu sabe de quem!de longe... ;)